R. Vinte e Seis de Agosto, 83
Centro - Campo Grande - MS
67 3382-4835

 
 

Recusar-se a fazer o teste de bafômetro gerará multa no valor de R$ 1915,40 a partir de novembro

Comercializado livremente o álcool é uma das drogas que mais mata, aproximadamente 80 mil mortes por ano no continente americano, o Brasil é o quinto país com maior número de óbitos ligados ao consumo de bebidas, aponta estudo da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No trânsito o consumo exagerado de bebida alcoólica entre os motoristas também registra grande impacto e causam cerca um número de mortes de 48,8% conforme Dados da Empresa Municipal de Desenvolvimento (Emdec) de Campinas (SP) .

Conforme o Tenente da Bptran , Renato Tolentino, o consumo de álcool ao volante é um ato gravíssimo , já está comprovado que um pequena porcentagem de álcool no sangue faz com que o indivíduo perca boa parte da sua coordenação motora, percepção de espaço e senso de direção.

E o pior muitas vezes as vítimas dos acidentes não fizeram a ingestão de bebida, mas acabaram sendo atropelados, por um condutor que estava alcoolizado. Infelizmente para quem perde um ente querido ou fica com sequelas estes minutos de "embriaguez" do outro, marcarão o resto de suas vidas.

"Os que não morrem nos acidentes geralmente ficam com lesões graves e permanentes, como por exemplo, neste feriado prolongado, um dos motociclistas atingidos por um veículo, teve grave lesão no pé, e corre o risco de amputação desse membro", afirma Tolentino.

O motorista que se expõe a esse perigo não comete só um erro de trânsito lembra o Comandante, "além do crime de conduzir sob influência de álcool ainda tem desobediência há diversas outras infrações juntas, regras básicas de circulação como: excesso de velocidade, desobediência à sinalização, expor a perigo de danos a terceiro".

Foto: Divulgação

Finais de semana e madrugadas

Mensalmente há uma elevação de 10% por mês de pessoas cometendo essa infração. "O quadro de pessoal da polícia militar de trânsito ainda é pouco, se fizéssemos mais ações em diversos bairros com certeza esse número poderia duplicar ou até triplicar", afirma Tolentino.

Os dias de pico deste número de infração são os finais de semana quando um grande número de condutores faz uso de bebida alcoólica. Conforme Bptran a maior parte de acidentes ocorrem de madrugada e a maioria dos infratores são homens jovens com idade de 18 a 35 anos.

"O fato é que o brasileiro, ainda mantém essa cultura de associar diversão com bebida. O veículo automotor principalmente para os condutores mais jovens significa ostentação, diversão e poder; o que pode levar muitos a agirem com imprudência na hora da "farra", gerando resultados que podem ser fatais. Para reduzir este quadro precisamos assumir cada um de nós uma mudança de postura, buscando conscientização e responsabilidade na hora de dirigir", conclui o Tenente.

Medidas preventivas

Medidas preventivas como a "Lei Seca" vêm tentando coibir essa combinação perigosa, e ações educacionais em escolas com o incentivo do Departamento Nacional de trânsito (DENATRAN), tentam realizar a conscientização para o trânsito nas crianças ainda na idade escolar. "Mas precisamos promover uma mudança de atitude para que o quadro de acidentes nestes termos diminua", afirma Tolentino.

O motorista autuado em flagrante, sofre as seguintes penalidades, arca com sanções administrativas, apreensão da CNH, multa, fora a fiança e vai responder o processo pelo crime de lesão corporal, além de 7 pontos na CNH.

Com medidas mais rigorosas, a lei 13.281 que alterou o Código de Trânsito Brasileiro, começa a valer no mês de novembro aumentará a multa para quem se negar a realizar o teste clínico do bafômetro o valor será de R$2.934,70, além disso, o condutor terá a suspensão de 12 meses da carteira de habilitação, recolhimento do documento e do veículo.

Publicado em 17/10/2016 10h15

** Edite e insira a matéria aqui **

Seja o primeiro a comentar!

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.
 
Tenente da Bptran- Renato Tolentino

"No trânsito o consumo exagerado de bebida alcoólica entre os motoristas também registra grande impacto e causam cerca um número de mortes de 48,8% "

— (Emdec) de Campinas (SP)